‘Silentio’, do artista José Rufino, marca diálogo com o patrimônio histórico e cultural de Viana, no Espírito Santo

Foto Gibran Chequer

 

Arte, patrimônio, riquezas e intempéries locais no Espírito Santo interagem em projeto selecionado pelo Edital Arte e Patrimônio 2009, uma iniciativa do IPHAN/ Ministério da Cultura, por meio do Paço Imperial, com patrocínio da Petrobras 

Ériton Berçaco

Um dos mais importantes cenários históricos e arquitetônicos do Espírito Santo, a cidade de Viana, é palco de residência artística do renomado José Rufino, artista brasileiro com trabalhos reconhecidos no Brasil e no exterior. O encontro, entre artista, patrimônio histórico e população só foi possível a partir do projeto “[Re]invenção de uma cidade”, da curadora Neusa Mendes. O projeto foi um dos selecionados pelo Edital de Arte e Patrimônio 2009, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por meio do Paço Imperial, com o patrocínio da Petrobras. O resultado com os projetos selecionados está disponível no site www.artepatrimonio.org.br.

O projeto ‘[Re]invenção de uma cidade’ compreende duas vivências do artista José Rufino na cidade de Viana, no Espírito Santo: a primeira já feita em novembro, e a segunda em janeiro de 2010,  durante os dias 23 e 30. Ao fim desta segunda vivência, será aberta a exposição “Silentio”, com a instalação de mesmo nome, que ficará até 30 de março de 2010 na Galeria de Arte Casarão, em Viana.

Durante sua segunda residência em Viana, agora em janeiro, o artista José Rufino fará duas oficinas abertas a escolas e à comunidade, com os curadores pedagógicos do projeto Erly Vieira Junior (vídeo) e Célia Ribeiro (narrativas).

Para o IPHAN, o espaço de interação da Arte com o Patrimônio é uma necessidade constante, isto para que a atualização de nossos conceitos de preservação e de registro da memória brasileira ganhem sempre contornos vivos da contemporaneidade. É necessário fomentar uma política de patrimônio com uma vertente que apóie o experimentalismo e a inovação.

Dos dias 26 a 30 de novembro, o artista esteve em Viana, ouvindo moradores, pesquisando os espaços, o patrimônio histórico, e a relação da cidade com sua história, seu patrimônio cultural e a dura realidade das enchentes que atingiram o estado no início de novembro. Tudo isso resultou na troca de experiências e num instigante diálogo entre o artista e as pessoas que moram na cidade. Os efeitos da invasão silenciosa das enchentes, a discussão em torno do patrimônio e de sua história, a história que no momento da residência se fazia, se constituía, tornaram-se diálogo significativo com a presença da arte.

“O projeto ‘[Re]invenção de uma cidade’ propõe um diálogo entre a arte contemporânea e o patrimônio histórico, de modo que esta arte investigue e integre-se ao espaço da cidade, imprimindo movimento, reativando as vidas nele guardadas, dialogando com o imaginário do público frequentador do circuito das artes visuais”, explica Neusa Mendes.

 ENCHENTE INTERFERE NA ARTE DE RUFINO

A dor de uma cidade inteira bombardeada pela guerra civil espanhola, na década de 30 do século passado, deu origem a “Guernica”, uma das obras mais famosas do pintor catalão Pablo Picasso. A perda, a ausência, a destruição foram elementos que inspiraram o pintor a compor o quadro. De outro modo, mas com algumas semelhanças, a dor, a emoção, a escuta, o olhar ressignificado sobre a cidade de Viana, o silêncio da tragédia, vinda com as chuvas, são elementos que compõem a instalação “Silentio”, de José Rufino, fruto do diálogo entre sua arte e o patrimônio artístico e histórico da cidade de Viana. “Quando entrei nas casas abandonadas com as marcas da lama seca nas paredes, fiquei em silêncio imaginando aquela água subindo e descendo silenciosamente e  acomodando tudo que transportou”, diz Rufino.

 BLOG

O projeto também possui um blog com informações e atualizações sobre a residência de José Rufino em Viana: www.artepatrimonio.wordpress.com.

 Serviço: “Silentio”, instalação de José Rufino

Curadoria: Neusa Mendes

Abertura: 30 de janeiro de 2010, às 11h.

Local: Galeria de Arte Casarão. Av. Florentino Avidos, Centro, Viana-ES. Aberta de terça a sexta, das10h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h.

Informações e agendamento de visitas monitoradas: 27 3255-1196 / 3255-1346

 


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s